top of page

O dispositivo de supervisão coloca em questão que, no lugar de encontrar a verdade que finalmente responderia a pergunta do que fazer em um caso, coloca em primeiro plano o não saber. Dessa forma, a política da falta-a-ser, intrínseca à posição do analista, é assumida pelo supervisor e sustenta a ética da sua práxis. Nessa perspectiva, o supervisor dirige a supervisão e não o supervisionando; portanto, o supervisor recusa o poder da sugestão implicado na identificação imaginária em prol do manejo da transferência e seus tempos, a partir do desejo que o orienta.

A Supervisão Como Interrogante da Práxis Analítica

SKU: OUT006
R$46.00Preço
Somente 2 em estoque
  • Título: A Supervisão Como Interrogante da Práxis Analítica
    Subtítulo: Desejo de Analista e a Transmissão da Psicanálise
    Autor: Emília Estivalet Broide
    ISBN: 978-85-71374-16-4
    Número de Páginas: 144
    Formato: 14x21
    Acabamento: Brochura
    Editora: Escuta

bottom of page